Gestão de Riscos de Negócio

ANÁLISE DE RISCOS EM AQUISIÇÕES E FUSÕES

A D&F atua como viés de avaliação e de identificação de informações que não foram documentadas, apresentadas ou, até mesmo, que foram mascaradas propositalmente durante a proposta de aquisição ou fusão de uma empresa, e que podem ser de grande impacto negativo para uma das partes envolvidas na negociação.

A consultoria busca compor o cenário real, indo além das análises documentais financeiras, jurídicas e operacionais de forma a evitar problemas futuros.

REDUÇÃO DE RISCOS EM PROCESSOS DE NEGÓCIOS

Por mais que a empresa busque implementar melhores práticas, o acúmulo do trabalho cotidiano e a distância da gestão em relação aos detalhes das demais partes da pirâmide criam para o gestor um cenário irreal, com diversas falhas e processos inadequados, ocasionando dificuldades na gestão, mascaramentos, fraudes e resultados financeiros ruins.

Realizando o mapeamento completo e detalhado do procedimento de cada setor selecionado, de modo a entender e a colher informações sobre as atividades exercidas e as suas peculiaridades, são atitudes que permitem propor ações de melhoria com o devido gerenciamento de risco.

PROGRAMA DE TRANSPARÊNCIA PARA ÁREAS DE RISCO

Toda empresa têm departamentos que são mais suscetíveis a riscos, podendo ter variação de suscetibilidade conforme o segmento e a indústria.

De maneira geral, pode-se dizer que os departamentos de Compras, Vendas e Contas a Pagar, por exemplo, são mais expostos a possíveis irregularidades que possam prejudicar a empresa, tanto em relação à imagem como em relação de risco financeiro. Dessa forma, a D&F oferece um programa de transparência nas respectivas áreas citadas, ou outras áreas específicas e críticas para o cliente para que o risco intrínseco seja minimizado.

O programa visa a transparência:

  • na relação com clientes, agentes públicos e fornecedores, com canalização do atendimento, da relação comercial e monitoramento das respostas dadas para estes;
  • na comunicação entre as partes, assegurando que os conteúdos possam ser auditados e armazenados de forma adequada e segura;
  • na montagem das documentações durante as relações comerciais e a segurança adequada sobre o conteúdo;
  • nos processos, minimizando os riscos e a condução das relações.
AVALIAÇÃO DE RISCOS DE CORRUPÇÃO

Empresas devem avaliar e mapear seus processos para identificar fragilidades que permitam a ocorrência de atos de corrupção para, dessa forma, implementar ferramentas de prevenção e minimizar os riscos de corrupção nos ambientes de negócios, criando-se uma cultura anticorrupção.

Necessário avaliar a aderência das empresas ao Foreign Corrupt Practices Act FCPA (EUA), ao UK BriberyAct (GBR) e à Lei Anticorrupção Brasileira 12.846/13. Importante destacar que a legislação nacional prevê a responsabilidade objetiva da pessoa jurídica, não sendo necessária a comprovação de culpa ou dolo em caso de corrupção, bastando apenas a evidência de que a empresa praticou o ato lesivo ou houve qualquer tipo de benefício em decorrência deste. Além da punição da empresa, poderá haver também a responsabilização individual dos dirigentes que participaram do ato ilícito.