Terceirização para compliance e gestão de riscos

A consultoria proporciona benefícios para empresa/cliente em ações de compliance e gestão de riscos, devido à percepção crítica de agentes não envolvidos no ambiente corporativo. Se considerarmos a teoria esposada (aquilo que se diz) e a teoria em uso (aquilo que realmente se faz), observamos que o cenário relatado, muitas vezes não é o cenário real, ou seja, proporciona uma visão distorcida da realidade pelos gestores.

Outro fator de vantagem é a terceirização, que proporciona a redução significativa de custos, permitindo que o cliente, diante da variação da demanda, não se preocupe com custos fixos de funcionários voltados exclusivamente para as atividades que poderiam se terceirizadas.

Quando se trata de temas como compliance e gestão de riscos que, por sua vez, têm alta sensibilidade para a empresa, uma figura de independência é essencial para garantir um bom trabalho.

Benefícios da consultoria externa para a gestão de riscos

 Avaliação e monitoramento independentes

A consultoria externa tem papel fundamental para o alinhamento e o monitoramento interno da empresa, visando à continuidade dos interesses dos acionistas. A independência de uma equipe externa se trata de atributo de grande relevância para a análise de processos e de situações, tais como: suspeitas de fraude, furtos, desvios, etc. Os especialistas garantem a confiabilidade e a qualidade das informações para auxiliar na tomada de decisões em cenários desfavoráveis. O grande diferencial dos consultores, principalmente em aspectos de compliance e gestão de riscos, está, portanto, no distanciamento das relações com o cliente, assegurando, dessa forma, que não exista conflito de interesses.

 Ações além da detecção de fraude empresarial

Detectar e solucionar fraudes e falhas que podem impactar na gestão ética é apenas uma das atribuições da equipe externa. As atividades de apurações, auditorias, análises forenses, governança e compliance proporcionam bons resultados direcionados e, em segundo plano, também enxergam determinados aspectos estratégicos que permitem evitar perdas e gerar eficiência para a empresa.

Programas de gestão de risco bem desenvolvidos garantem controles significativos sobre as perdas, tanto quantitativamente como em profundidade. Mais do que isso: um projeto para gestão de risco e compliance trabalha preventivamente, integrando diversos setores da empresa a fim de monitorar informações com frequência, de traçar antecipadamente soluções ou, até mesmo, de remodelar processos, conforme mudanças de cenários.

 Know-how e neutralidade

Outros dois pontos importantes na inserção de consultores externos são o know-how e a neutralidade. Uma equipe especializada leva experiência e competência técnica às empresas. Por meio do processo de benchmarking, a consultoria realiza um amplo trabalho em busca de boas práticas. O know-how é indispensável para o planejamento de uma gestão de riscos, pois esta requer conhecimento para lidar com situações especiais de grande relevância para a empresa, protegendo de atritos internos o quadro de funcionários da empresa, garantindo posicionamento imparcial. Ou seja, o consultor é uma peça-chave neutra e especializada para a manutenção da máquina empresarial.

 Neste sentido, a consultoria externa representa ganhos não só em qualidade técnica, mas também na construção de um elevado grau de governança corporativa e gestão, além de, consequentemente, melhorias na imagem e na competitividade da empresa.

 Acompanhe nossos próximos conteúdos sobre compliance e gestão de riscos e compartilhe suas experiências nos comentários.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *